Ter o próprio negócio exige disciplina e uma melhor organização das finanças. Sem os mesmos benefícios de quem trabalha no regime CLT, os autônomos precisam fazer um bom planejamento financeiro para conseguir sustentar o negócio e cuidar melhor do seu dinheiro.

Construir um bom planejamento significa conhecer muito bem os ganhos e gastos do seu negócio, mas também sua despesa pessoal. Também é importante conhecer seus planos para o futuro e saber como se preparar para organizar sozinho toda a sua vida financeira.

Tem muitas dúvidas sobre como fazer isso? Confira algumas dicas que vão te ajudar a olhar para o seu dinheiro de forma mais consciente.

 Neste post, você vai ler:
1- Separe suas finanças pessoais das despesas do seu negócio
2- Faça um raio-x das suas finanças
3- Use alternativas de crédito com inteligência
4-  Programe-se para: tirar férias, fazer uma retirada extra e se aposentar
5 – Invista
6 – Acompanhe seu planejamento de perto

1)   Separe suas finanças pessoais das despesas do seu negócio

A primeira dica é fundamental para você se organizar é: separe as finanças do seu negócio das suas finanças pessoais. Pode parecer óbvio, mas isso ainda leva muita gente às dívidas. Misturar os gastos gera confusão e quando você não sabe diferenciar os gastos, a chance de se enrolar é muito alta.

Uma forma de ter as contas separadas é abrir uma conta para Pessoa Física e outra conta para Pessoa Jurídica. No Banco Inter, ao abrir uma conta Pessoa Física, é possível solicitar a abertura de uma MEI ou Pessoa Jurídica pelo app. Também é possível aproveitar os benefícios da conta gratuita nessas contas e contar com taxa de juros atrativas para empréstimos.

Outro ponto importante é conhecer os seus planos. Pretende expandir o seu negócio, mas também quer fazer uma viagem de férias? Lembre-se de incluir isso no seu planejamento.. Liste todos os custos desse projeto, estabeleça um valor necessário, verifique os meios possíveis para isso (como solicitar um empréstimo, por exemplo), estabeleça um prazo para realizar o seu plano e não se descuide do seu controle financeiro.


2)   Faça um raio-x das suas finanças

Com seus gastos e ganhos organizados, é preciso iniciar o seu planejamento. Para começar, faça um raio-x das suas contas. Separe um tempo para fazer suas planilhas: uma para o seu negócio e outra para a sua vida financeira pessoal.

 Seja o mais detalhista possível e inclua as despesas fixas (aluguel, telefone e outras) e as variáveis (água, luz, cartão de crédito e etc). Também considere os ganhos e, ao final, veja se a conta está fechando. No caso da sua empresa, você também pode ter a ajuda de um contador para ter melhor clareza das finanças do seu negócio.

Se o orçamento não estiver fechando, esse levantamento pode ser uma oportunidade para identificar despesas desnecessárias, fazer cortes e economizar. Lembre-se que essa economia pode virar um investimento no futuro ou até mesmo uma reserva para emergências.

Nas suas planilhas, considere também os meses onde o faturamento costuma ser menor, ou aqueles meses onde há mais gastos. Em janeiro, por exemplo, há cobrança de IPVA e quem tem filhos precisará arcar com o material escolar. Tudo isso pode impactar nas despesas do mês.

3)   Use alternativas de crédito com inteligência

Empreendedores com conta PJ ou MEI tem à disposição uma série de alternativas para conseguir crédito. Entre elas, empréstimos, cartões de crédito, antecipação de recebíveis, crédito com garantia de imóveis e outros. Mas antes de recorrer a uma dessas linhas é preciso ter cuidado. Pense se você precisa mesmo dessa linha de crédito, lembre-se de considerar os empréstimos que já tem e, principalmente, o quanto paga por eles.

Conhecer a taxa de juros é fundamental para saber o quanto pagará pelo crédito ao final. Também é importante caso você queira trocar uma dívida cara por uma dívida mais barata, ou seja contratar um crédito mais barato para pagar suas dívidas.

Produtos de crédito são importantes para quem está à frente de um negócio e trazem vantagens se utilizados corretamente. No caso do cartão de crédito, é fundamental saber que essa pode ser uma boa alternativa para pagamentos, mas é importante não misturar as contas e nem extrapolar os gastos já que terá mais um cartão à disposição.

4)  Programe-se para: tirar férias, fazer uma retirada extra e se aposentar

Entre os principais benefícios de quem trabalha no regime CLT é ter férias, 13º e recolhimento de INSS garantidos. Quem é autônomo deve cuidar dessas questões por conta própria e mesmo sendo dono do seu próprio negócio dá para se organizar e ter esses benefícios.

Se quer planejar a sua aposentadoria, insira no seu planejamento as contribuições mensais para o INSS, pague uma previdência ou invista em títulos de longo prazo. É importante poupar para aproveitar o momento, mas também para garantir sua tranquilidade no futuro.

A mesma regra vale para quem quer tirar férias ou pretende fazer uma retirada extra, como ocorre com quem recebe 13º. O ideal é separar um valor por mês para cada uma desses objetivos. Especialistas indicam o valor reservado para isso não ultrapasse 10% da renda. Uma opção é aplicar esse valor em uma Previdência Privada ou investir em CDB ou LCI para fazer o seu dinheiro render ao longo do ano.

5) Invista

Depois de fazer o seu planejamento, percebeu que começou a sobrar um dinheirinho? Então nada de deixá-lo parado em conta ou escondido debaixo do colchão. Além de ser uma prática insegura, optar por deixar seu dinheiro parado pode te fazer perder dinheiro.

Uma dica é guardar o dinheiro usando um investimento que tenha liquidez diária (ou seja, que você pode resgatar a qualquer hora). Assim, seu dinheiro rende mais do que se estivesse parado e também começa a trabalhar por você, sem grandes esforços extras. Antes de escolher um investimento, verifique a taxa de rentabilidade, se há desconto de imposto de renda e qual o prazo para resgate (quando houver).

6) Acompanhe o seu planejamento de perto

Ao começar a acompanhar suas finanças de perto, você vai mudar alguns hábitos. O principal deles será cuidar melhor do seu dinheiro. Para que a mudança seja verdadeira, é fundamental que você passe a monitorar constantemente suas planilhas e seus gastos.

Fique sempre de olho nas suas despesas, nos gastos invisíveis e naqueles períodos sazonais onde seu orçamento pode ser menor que o esperado. Organize-se para atravessar esses momentos e para seguir o seu planejamento.


Para saber mais sobre como o Banco Inter pode auxiliá-lo no dia a dia da sua empresa, acesse o site e confira. Além da conta digital gratuita, autônomos tem à disposição uma série de produtos e serviços para facilitar a rotina do seu negócio.