Você já teve a sensação de que nunca sobra dinheiro na conta, ou pelo menos, não tanto quanto você gostaria? Cuidar do próprio dinheiro parece não ser uma tarefa muito fácil, e no geral a gente sempre tem a impressão que não ganha o suficiente.

Mas a verdade é que, com algumas mudanças no seu dia a dia, você pode começar a cuidar melhor das suas finanças, com ações muito simples e práticas .

Por isso nós listamos algumas das iniciativas que você pode começar a tomar para cuidar melhor do seu dinheiro.

Somos realistas: sabemos que é muito difícil começar todas elas de uma vez. Mas você pode fazer dessa lista uma meta, dando um passo de cada vez. Até porque temos certeza que você vai começar a ver os resultados, tanto na rotina quanto no bolso!

Leia, estude e aprenda mais sobre o assunto

O simples fato de você estar nesse momento, lendo este conteúdo, já é um excelente primeiro passo. Pode se sentir feliz com isso! É que, na maioria das vezes, cuidamos mal do nosso dinheiro porque não sabemos exatamente o que fazer com ele:

● quais pagamentos priorizar;

● qual o melhor momento de fazer uma compra;

onde e como investir ;

● qual a melhor forma de pagamento para cada compra que fazemos;

● como pagar menos taxas e juros.

E a melhor forma de fazer isso é conhecendo mais sobre finanças.

Para isso, existem diversos canais e formatos de conteúdo — acessíveis, simples e gratuitos — que você pode acompanhar.

O próprio “ Conta com a gente ” é um excelente exemplo. Como ele, você pode seguir outros blogs, como o “ Pago Quando Puder ”, um blog descomplicado de educação financeira voltado para problemas comuns de pessoas comuns : como pagar dívidas, limpar o nome, fazer bom uso do cartão de crédito… enfim, viver bem com o que ganha!

Para quem prefere conteúdos em áudio nós indicamos o podcast Financast : com conteúdos incríveis sobre mercado financeiro, e que ajuda a tirar dúvidas comuns, como “Comprar ou alugar?” ou “Como construir sua própria aposentadoria”.

Independente do formato, o importante é começar: um conteúdo por dia, ou por semana…ouvir um podcast no caminho para o trabalho… livros sobre educação financeira … você escolhe!

Priorize o pagamento de dívidas

Outro cuidado importante para quem quer ter mais controle sobre o próprio dinheiro é priorizar o pagamento de dívidas;

Primeiro porque elas podem levar o seu nome para o SPC ou Serasa, o que afeta diretamente a sua capacidade de tomar decisões financeiras : você pode ser impedido de conseguir um cartão de crédito, um empréstimo, ou até de alugar um imóvel, por exemplo.

Segundo porque enquanto as dívidas não são pagas você vai acumulando juros, multas… e essas são formas muito fáceis de perder um dinheiro que podia ser direcionado para a realização dos seus sonhos.

Por isso, coloque as contas na ponta do lápis, corte os gastos desnecessários e se organize para pagar suas dívidas.

Evite usar o rotativo

Muitas pessoas não sabem, mas o rotativo é uma espécie de empréstimo: você usa o cartão de crédito, não consegue pagar o valor total, e ao optar pelo pagamento do mínimo o banco arca com essa dívida e te cobra os juros depois.

Em muitos momentos, ele pode ser uma excelente saída. Mas é importante que você evite ao máximo usá-lo. Isso porque o rotativo tem uma das taxas mais altas em relação às opções de crédito. Então pode ser mais vantajoso pegar um empréstimo, por exemplo, do que usar a opção de pagamento mínimo.

Até porque, 30 dias depois de optar pelo rotativo, você terá que arcar com o valor da fatura atual, mais os gastos feitos no cartão naquele mês, mais os juros e encargos desse serviço.

Então, no lugar de ser uma boa coisa, ele pode transformar a sua dívida em uma bola de neve!

Tenha uma reserva de emergência

Ter um dinheiro guardado parece um luxo, mas na verdade é uma medida extremamente necessária, especialmente para momentos de emergência.

Nós sabemos que dinheiro não compra saúde, nem felicidade. E concordamos com isso. Mas ele, na maioria das vezes, é um bom instrumento para trazer um pouco mais de conforto quando perdemos o emprego, ou uma solução mais rápida para quem está passando por problemas.

Especialmente porque a emergência, geralmente, nos faz tomar medidas por impulso — seja pelo medo ou pena necessidade — e com isso corremos mais risco de endividamento , fora diversos riscos para nós e nossa família.

Por isso, reserve uma quantia, todos os meses, do seu salário ou renda para guardar para situações de emergência, mesmo que seja uma quantia pequena — como R$10… 20…ou 30 reais.

Nós esperamos que você jamais precise usar. Mas, caso seja necessário, também queremos que você consiga sair dessa sem gerar mais problemas para o futuro.

Gaste menos do que você ganha

Para ter uma reserva de emergência você já precisa gastar menos do que ganha. Mas o ideal mesmo é que você consiga passar o mês com algum dinheiro em sua conta.

Essa pode parecer a dica mais óbvia, mas sabemos que a realidade de muitos brasileiros não é essa, e nós queremos te mostrar que isso é possível — afinal, dissemos que as dicas seriam práticas.

A primeira delas para começar a gastar menos é dar uma atenção especial ao limite do seu cartão de crédito . Ele dá uma falsa sensação de que temos recursos disponíveis, mas na verdade estamos muitas vezes gastando um dinheiro que ainda não tempos — e que virá no próximo salário, por exemplo.

E com isso você pode se enrolar no final do mês.

Outra dica é ter cuidado com os gastos muito pequenos , principalmente porque eles não são óbvios. São R$10,00 reais aqui… R$25,00 ali… mais R$15,00… e quando você se dá conta, esses pequenos valores se tornaram um montante muito alto e que você não esperava.

Por fim acompanhe o saldo da sua conta e o extrato do seu cartão , quase que religiosamente. Pelo menos uma vez por semana é o ideal.

Além de garantir a sua segurança — você tem a certeza de que nada de errado aconteceu—, também ajuda a ter controle e noção clara dos seus gastos, para saber quando é a hora de repensá-los ou de gastar um pouco menos.

Planeje seus gastos

Essa dica é legal porque ela ajuda muito a garantir o sucesso da anterior.Existem diversas formas de organizar os seus gastos ao longo do mês para que eles caibam no seu orçamento, além de te ajudarem a economizar — e muito!

Por exemplo:

● Fazer a lista de compras antes de sair de casa;

● Organizar suas finanças — diminuir a fatura do cartão , por exemplo — antes de fazer uma compra de valor mais alto;

● Esperar algumas semanas antes de comprar um produto por impulso, para garantir que você não se arrependa da compra;

● Ter uma planilha ou app em que você consiga organizar seus gastos diários para manter o controle;

E essas são apenas algumas das possibilidades.

O ideal é que você faça a organize da maneira que funcionar melhor para você, desde que você consiga saber exatamente para onde o seu dinheiro vai, sem surpresas!

Separe as dívidas fixas

Todo mundo tem aquelas contas que são essenciais, e que, caso não sejam pagas, podem acarretar problemas muito grandes e imediatos todas os meses.

É o que chamamos de contas fixas:

● Aluguel;

● Condomínio;

● Luz;

● Água;

● Gás;

● Plano de saúde.

Elas variam de pessoa para pessoa, mas todos devem identificar quais são as suas e colocar como prioridade máxima na hora de pagar as contas.

Geralmente esses valores têm pouca ou quase nenhuma alteração mês a mês. Por isso, você já deve ter em mente quanto precisa reservar para garantir esses custos, sabendo exatamente quanto fica para as demais contas.

Tenha objetivos financeiros claros

Essa talvez seja uma das ações mais complexas, embora pareça muito fácil: definir seus objetivos financeiros;

Ela é difícil porque quando você define o que é, ele se torna um objetivo apenas quando você começa a fazer ações práticas para alcançá-lo. Sem isso, ele não é um objetivo, e sim um desejo.

Essa meta pode ser de diversas origens e grandezas:

● Uma poupança ;

● Investimentos;

● Fazer uma viagem;

● Comprar um carro;

Não importa.

E você pode ter um, dois ou vários. Isso também não é um problema.O mais importante é que você consiga tomar, mesmo que pequenas, algumas ações em direção a esse projeto, seja cortando custos, começando um cofrinho… uma atitude que te ajude a alcançar o objetivo e manter o foco.

Acompanha seu Cadastro Positivo

Por fim, mas não menos importante, você precisa acompanhar o seu Cadastro Positivo, se quiser cuidar bem do seu dinheiro.

O Cadastro Positivo é uma nota baseada nas suas ações como bom pagador. Funciona como a negativação, só que no lugar de levar em consideração as contas que você deixou de pagar, ele te dá pontos por tudo aquilo que você manteve em dia.

Desde 09 de julho, esse score se tornou automático no Brasil , com a aprovação do governo federal. Ou seja: todas as pessoas têm uma nota, a não ser que cancelem o cadastro.

Mas o bom é que, através dele, empresas e bancos têm a possibilidade de oferecer a você melhores condições de crédito, financiamento, menores taxas de juros, e outros benefícios, justamente por você ter um bom histórico como pagador.

Para consultar esse seu currículo financeiro e saber sua nota, é só acessar o portal do Serasa para o Cadastro Positivo e clicar em “Consultar.

Gostou? Tem outras dicas sobre como cuidar das finanças e fazer o dinheiro render? Deixe aqui nos comentários.

Por: Pago quando puder

Um blog de finanças, desenvolvido pela Meu Acerto, com objetivo de ajudar famílias a acabarem com suas pendências financeiras e terem mais qualidade de vida.