All posts by Mayara Eleutério

Como juntar dinheiro para comprar um carro: 7 dicas infalíveis

Seja para adquirir seu 1º veículo ou mais um para a família que anda crescendo, sabemos que a tarefa de juntar dinheiro para comprar um carro pode não ser tão simples assim.

Por isso, vamos te ajudar com 7 dicas que nunca falham. Isso irá contribuir para você entender o que precisa para conquistar sua independência de ir e vir por aí.

1) Nunca é cedo demais para juntar uma grana

Comece cedo a trilhar o caminho para os seus objetivos. Isso vale para tudo na vida, inclusive para comprar um carro.

Por isso, se – desde cedo – o ronco do motor já te faz sonhar com a sua independência, já comece a guardar o dinheiro que ganha de seus aniversários ou das mesadas que recebe.

Você já pode começar a fazer o cálculo de quantos anos tem, com qual idade possivelmente irá tirar carteira e quando – de fato – poderá comprar o carro.

Se você acha que não conseguirá juntar a grana para comprar o carro à vista, programe-se para ter pelo menos 20% do valor total do veículo. Isso facilita para você dar entrada em financiamento ou até mesmo dar um lance em um consórcio para ser contemplado mais rapidamente.

 2) Defina o carro de acordo com o valor que você pretende gastar

Antes de começar a juntar sua graninha suada, pense no tipo de veículo que você gostaria de comprar e qual é o compatível com a sua renda.

Se for um carro esportivo e de luxo, provavelmente você levará um tempo a mais para realizar essa compra. Por outro lado, se o modelo escolhido for um popular, será possível concluir seu objetivo em um intervalo menor de tempo.

Caso o seu desejo – de cara – seja um carro mais caro, mas ele não está tão compatível assim com a sua renda, quem sabe não seja o caso de repensar e dar um passo de cada vez, ao invés de adiar a compra por um longo tempo? Que tal juntar uma grana para comprar um carro popular agora e depois continuar economizando para comprar um veículo mais luxuoso?

Outra tática para encurtar o tempo de realização do seu sonho é considerar comprar um seminovo, por exemplo. Os carros desvalorizam muito ao sair da concessionária. É possível que você consiga um valor bem legal em um veículo com pouca quilometragem rodada.

No fim, o importante é avaliar sua renda e suas expectativas, tentando unir – da maneira mais harmoniosa possível – as 2 coisas.

3) Leve em conta a sua renda e as despesas importantes

Nada de persistir na tentadora ideia de fazer planos mirabolantes para juntar dinheiro. Tenha os pés no chão! Considere a sua realidade, leve em conta sua renda e as despesas primordiais com que você precisará continuar arcando.

Depois disso, coloque no papel seus gastos extras e veja o que você poderá cortar, já fazendo seu planejamento de economia.

Com cálculos simples e rápidos, veja quanto você precisará juntar para ter a quantia total que você quer e qual o tempo razoável pra chegar lá. Por exemplo, se você prevê um carro de 20 mil reais em 20 meses, precisará poupar em torno de 1 mil reais todos os meses, obviamente.

4) Separe uma parte de seu salário e controle sua renda mensal

Com o objetivo e tempo já definidos, é hora de dar mais um passo. É importante definir o percentual que irá economizar. Por exemplo, se você ganha R$ 1.800,00 e determinar que irá economizar 30% por mês, o valor da sua poupança será de R$ 540,00.

Encare essa poupança como mais uma dívida mensal: abra uma conta específica para ela (sem custos, faça-nos esse favor, hein?), gere boletos bancários no montante que você deseja economizar e, todos os meses, efetue os pagamentos regulamente. O dinheiro economizado ficará rendendo e você não corre o risco de gastá-lo com outra coisa.

5) Considere outros investimentos além da poupança

Uma boa opção para te ajudar a juntar dinheiro para comprar um carro é investir em alternativas além da boa e velha poupança. Ela é o investimento mais conhecido do brasileiro, por ser mais fácil de usar, pode ser resgatada a qualquer momento e não tem cobrança do Imposto de Renda.

Mas que tal considerar outros investimentos com maior rentabilidade? Afinal, seu objetivo não deve ser apenas economizar, mas também fazer o seu dinheiro render cada vez mais. Assim, você já tem aquela forcinha para chegar ao seu objetivo ainda mais rápido.

Separamos 3 motivos para você deixar sua graninha em alguma Renda Fixa, sem medo.

6) Sem disciplina para investir? Considere o consórcio.

Se você é daqueles que já tentou, mas ainda não conseguiu a disciplina necessária para juntar a grana que precisa, considere investir em um consórcio para carros.

Diferente do financiamento, você não paga juros, apenas uma taxa de administração que costuma ser bem menor que as taxas do financiamento.

O consórcio funciona assim: os integrantes contribuem com parcelas mensais e a cada mês um deles é contemplado com uma “carta de crédito”, ou seja, um documento que ‘autoriza’ a compra do carro ou que pode servir como entrada para um carro de maior valor.

Para ser contemplado no consórcio, o integrante pode ser sorteado ou dar lances.

Vamos voltar ao cálculo de guardar 30% de seu salário. Se você ganha R$ 1.800,00, o valor que você irá guardar – R$ 540,00 – já é o suficiente para investir em um consórcio, ao mesmo tempo em que você continua tendo como arcar com outras despesas e momentos de lazer.

7) Comprei e agora? Que tal investir a grana extra para se preparar para os gastos com o carro?

Pronto! Missão dada é missão cumprida! Você tanto lutou para juntar grana para comprar um carro, que conseguiu. Mas se você acha que as nossas dicas de economia terminam assim que você colocou as mãos no volante, esqueça. É preciso seguir esse caminho com a consciência de que você precisa continuar poupando.

Afinal, você ainda terá revisão, IPVA, seguro, licenciamento e outros gastos ligados ao veículo, que não são tão fáceis assim de bancar, não é mesmo? Por isso, a dica de ouro aqui é aproveitar a grana extra ao longo do ano para não sufocar quando essas contas vierem.

Você irá receber 13º salário, restituição do Imposto de Renda ou algum abono da empresa? Por que não guardar uma parcela, por exemplo, em um Fundo de Investimentos para render e aliviar mais pra frente.

Em algumas opções de aplicação em Fundos do Banco Inter, você recebe até cashback.

Ou seja, quando você escolhe investir em um fundo pelo app do Inter, a gente divide nossa receita de distribuição com você.

Agora que você já está começando a ficar expert em como economizar para fazer o seu dinheiro render mais e realizar seus sonhos, veja como separar o que são as despesas fixas e variáveis, para que consiga se organizar melhor.

Home Equity? Saiba tudo sobre o crédito com garantia de imóvel

Você pode até não reconhecer de nome Home Equity, mas é bem provável que você conheça essa modalidade de crédito. Ela surgiu há muito tempo nos Estados Unidos e vem se fortalecendo no Brasil nos últimos anos por oferecer ótimas vantagens.

Essa é uma excelente opção para quem tem um imóvel e precisa de dinheiro para investir no próprio negócio, saldar dívidas ou para quem busca soluções de fluxo de caixa.

 

O que é Home Equity?

Home Equity é um tipo de empréstimo conhecido por ter taxa pequena e prazo de pagamento estendido. Para isso, você coloca um imóvel como garantia de pagamento. E as vantagens não param por aí: não é preciso vender ou sair da propriedade e ela continua em seu nome.

Além de ser conhecido como crédito com garantia de imóvel, o Home Equity também recebe o nome de refinanciamento de imóvel. Apesar desse nome, ele não tem nada a ver com a compra de uma propriedade. Ao contrário, o imóvel é usado como garantia de um empréstimo junto ao banco.

Outro nome comumente utilizado para esse produto é alienação fiduciária. O imóvel continua em seu nome, mas durante o período do contrato do crédito ele fica alienado pelo banco.

 

“Por que essa modalidade de crédito é tão vantajosa?”

Tudo bem se você estiver se fazendo essa pergunta, pois estamos acostumados a desconfiar de propostas muito boas, não é mesmo? Para entender como o Home Equity consegue essas condições basta lembrar que a taxa de um empréstimo é medida de acordo com o risco de inadimplência e o custo da operação.

Por ter um bem material como salvaguarda, o crédito com garantia de imóvel traz baixo risco de perda para o banco. Isso torna possível oferecer uma taxa mais baixa e um prazo de pagamento bem estendido, o que acaba reduzindo o valor das parcelas. Todas essas facilidades de pagamento acabam por minimizar o grau de inadimplência e, consequentemente, tornam a operação mais segura para o banco. Assim, todos saem ganhando!

Bem, mas se você ainda continua com receio de colocar seu imóvel como garantia de um empréstimo, saiba que isso também é compreensível. O casa própria é o sonho de boa parte dos brasileiros e qualquer possibilidade de perdê-la gera calafrios. É justamente nessa insegurança que nascem diversas dúvidas e interpretações erradas sobre o Home Equity, como, por exemplo, que o banco quer ficar com sua casa. Para deixar tudo às claras, você pode conferir nosso post sobre Mitos e verdades sobre o crédito com garantia de imóvel.

 

Como funciona o Home Equity do Banco Inter

(Informações de acordo com a data de publicação desse post e obtidas no site oficial do Banco Inter)

– São aceitos como garantia imóveis residenciais e comerciais;

– Só não são aceitos lotes, galpões e imóveis sem habite-se (documento emitido pela Prefeitura atestando que a propriedade está pronta para ser habitada e foi construída ou reformada conforme as exigências legais do município);

– Não é preciso sair da propriedade e ela continua em seu nome;

– Valor do empréstimo: mínimo de R$ 100 mil e máximo de 50% do preço do imóvel;-

– Valor do imóvel: mínimo de R$ 200 mil;

– Podem solicitar pessoas físicas e jurídicas;

– A liberação do dinheiro sai partir de 3 dias depois de aprovada a documentação

– Taxa  pré-fixada de 1% a.m.

– Prazo para pagar de até 84 meses

 

Passo a passo de como solicitar

 

1) Solicitação

Você faz uma solicitação de análise de crédito pelo site do Banco Inter e nossa equipe entra em contato com as melhores propostas de acordo com sua necessidade.

2) Análise de crédito

Com base na documentação enviada, fazemos uma análise de crédito compatível com seu perfil.

3) Formalização

É feita uma vistoria do imóvel para avaliar o valor e, em seguida, damos continuidade com o contrato.

4) Liberação

Com a documentação finalizada e aprovada, liberamos seu crédito a partir de 3 dias.

 

 Crédito para você fazer o que quiser

Seja para reformar seu imóvel, abrir o próprio negócio, quitar dívidas com juros altos, investir na formação dos seus filhos ou até mesmo para fazer a viagem dos seus sonhos, com o Home Equity você tem uma solução simples e segura. Solicite uma análise pelo site e comece a planejar seu futuro.

6 dicas de segurança pra viajar tranquilo no feriado

Quando o feriado se aproxima, a euforia toma conta de muitos de nós. Afinal, ninguém é de ferro para viver apenas de segunda a sexta-feira, não é mesmo?

Seja qual for seu destino: praia, serra, montanha, fazenda ou grandes cidades, é importante cuidar da sua segurança e de sua família antes mesmo de sair de casa.

Para isso, separamos 6 dicas de segurança pra você viajar tranquilo no feriado e curtir – ao máximo – o seu destino e as suas companhias. Afinal, ninguém gostaria de se deparar com a cena de suas coisas reviradas ao voltar para casa. Ou até mesmo ter problemas com seu carro durante seus merecidos dias de descanso.

Para que nada tire a sua paz, bora conhecer as dicas para colocar todas elas em prática agora mesmo?

ANTES DE SAIR DE CASA:

Os cuidados com sua viagem devem acontecer mesmo antes de sair de casa. As dicas de segurança abaixo vão te ajudar a prevenir que más notícias cheguem até você durante o feriadão.

1. Simular uma rotina pode ser um bom método:

Feriados já são datas típicas em que as pessoas deixam suas casas para viajar. Por isso, muitos lares são visados pelos mal-intencionados.

Uma boa estratégia para fugir dessa situação, é simular que tem alguém em casa e que todos continuam seguindo uma rotina.

  • Não deixe as luzes acesas durante toda a viagem. Se possível, instale temporizadores em algumas lâmpadas da casa. Eles podem ser programados para acender e apagar automaticamente em um intervalo de tempo. Programe para que acendam no início da noite e apaguem antes da madrugada.
  • Desligue a campainha. Pessoas sondando casas vazias podem acioná-las em diversos horários para verificar se alguém atende. No entanto, se não ouvirem o toque não poderão ter certeza se não tem ninguém em casa ou se a campainha está com defeito.
  • Também vale suspender a entrega de jornais e revistas durante a ausência, para evitar que fiquem acumulados.

2. Cheque tudo antes de partir: 

Antes de deixar sua casinha, faça uma checagem geral para ter certeza que todas as trancas e janelas estão fechadas.

  • Se tiver joias ou objetos de valor em casa, é recomendado alugar o cofre em um banco. Assim, você pode ficar mais tranquilo onde estiver.
  • Feche também portas internas. Isso dificulta a circulação de uma possível visita não desejada.
  • Informe sobre sua ausência a um vizinho próximo e procure manter contato com ele periodicamente durante a viagem.

Além de cuidar da segurança contra roubos e furtos, é importante também tomar alguns cuidados para evitar problemas elétricos e até mesmo incêndios.

  • Retire todos os aparelhos eletrônicos da tomada. Isso evita que sejam danificados no caso de sobrecarga elétrica, evitando o risco de incêndios.
  • Certifique-se de que registros de água e gás, por exemplo, foram bem fechados, para assim evitar eventuais desperdícios e acidentes.

3. Avalie se é uma vantagem para você ter um Seguro Residencial: 

Mesmo prevenindo ao máximo, sabemos que imprevistos podem acontecer. Por isso, é importante contar com todo apoio e proteção nessas horas.

Além de ter essa segurança, você ainda pode contar com serviços 24 horas de encanador, chaveiro, eletricista, chaveiro, entre outros.

Os segurados ainda podem participar de sorteios com prêmios mensais.

Se você tem dúvida de como contratar um seguro com o seu perfil, veja nossas 4 dicas para fazer um seguro e evitar sustos.

4. Faça checkup no carro antes de viajar:

Imagine a cena clássica: carro parado no acostamento, capô aberto e família desolada do lado de fora.

Para não cair nessa pegadinha, é preciso tomar alguns cuidados antes de colocar o pé na estrada.

  • Verifique se já está na época de revisar o possante;
  • Teste os freios e veja como estão os faróis e lâmpadas;
  • Verifique o limpador de para-brisa e as condições dos pneus;
  • O nível do óleo também é simples de ser checado e merece atenção;
  • Dê uma conferida se a chave de roda, o triângulo e o macaco estão no porta-malas;
  • Não esqueça de rever se a carteira de motorista não está vencida e todos os documentos do carro estão em dia.

Após checar todos esses itens, não se esqueça de ter certeza de que o trajeto que fará é o melhor.

Mesmo com toda a tecnologia dos navegadores GPS a seu favor, sempre é bom checar com antecedência o destino e verificar as condições das estradas.

Se possível, deixe para percorrer durante o dia as vias que estão malconservadas ou as que são famosas pelo alto índice de acidentes ou assaltos.

5. Verifique se o Seguro do seu carro está em dia:

Se você vai colocar o pé na estrada, é importante deixar o seu carro protegido.

Ficamos ainda mais expostos quando viajamos. Os exemplos mais clássicos de que esse risco aumenta são os quilômetros a mais percorremos, se comparado aos nossos dias normais, o fato de poder ficar mais vulnerável viajando a noite ou estacionarmos em lugares que não conhecemos direito.

Por isso, o seguro automóvel é essencial, não somente pelas coberturas, mas também pelos serviços que podem ser muito úteis em caso de necessidade, como guinchos, cobertura de danos a vidros, faróis e lanternas.

Se você estiver inseguro de como escolher um Seguro Auto, confira 7 coisas que você precisa saber antes de fazer o seguro de carro.

DURANTE A VIAGEM:

6. Seja prudente nas redes sociais:

Sim. A vontade de compartilhar nossas melhores poses e sorrisos, clicando e postando tudo que vemos pela frente é irresistível. Quem nunca?

Mas fica o alerta: cada vez mais os ladrões pesquisam as redes sociais para escolher suas vítimas. Então, evite publicar que está viajando e tome cuidado para não revelar o endereço de sua residência.

Evite dar detalhes de quando estará longe, fotos em tempo real das férias (espere chegar em casa) e também ostentar compras caras.

Se realmente não conseguir se segurar, ajuste a configuração de privacidade das redes sociais para que apenas os amigos vejam suas atualizações e desative as opções de localização. 

DEPOIS DA VIAGEM:

Cansado de ficar de pernas pro ar? Nunca, né? Então, ao chegar de viagem, não enfrente a depressão. Já comece a planejar o próximo destino. Pra isso, separamos algumas dicas para você Juntar quase 7 mil reais em 52 semanas.

E você pode ficar despreocupado – com as nossas 6 dicas de segurança para você viajar tranquilo no feriado – você já sabe como ir e voltar despreocupado de lá.

E no mais, #contacomagente, sempre!