Como começar a investir para a aposentadoria

Invista Direto 25/01/2018 | 8:10

Com a reforma da previdência em pauta, muita gente tem procurado outras formas de garantir uma aposentadoria tranquila, sem depender da previdência pública. Se você também está preocupado com o futuro, que tal começar a investir para a aposentadoria?

Neste post, separamos algumas dicas para você poupar dinheiro, fazer planos e investir em seu futuro. Confira!

Comece a poupar

Antes de sair fazendo planos mirabolantes para o futuro, você deve se perguntar: “Quanto dinheiro estou juntando hoje?”. Em outros posts aqui no blog, já falamos que o primeiro passo para construir um patrimônio é começar a poupar. Então, se você ainda não consegue economizar, chegou a hora de repensar seus hábitos de consumo.

Estabeleça suas metas

Depois de organizar suas finanças pessoais e aprender a guardar dinheiro, você já pode começar a planejar o futuro. Analise suas despesas, seus objetivos de vida e faça uma projeção de quanto precisará ganhar quando decidir “pendurar as chuteiras”.

Fazer uma previsão dessas não é tarefa fácil, principalmente se ainda faltarem algumas décadas para a sua aposentadoria. Mas você pode começar, por exemplo, pensando na sua vida daqui 30 ou 40 anos: onde você gostaria de morar? Pretende viajar, fazer cursos ou ocupar seu tempo com alguma atividade específica? Escreva uma lista de desejos e tente fazer uma estimativa da renda necessária para realizar esses sonhos.

Começar a investir para a aposentadoria

Agora que você já aprendeu a poupar e definiu suas metas, chegou o momento de investir para garantir um futuro tranquilo e não precisar contar com a previdência pública.

O primeiro conselho é: conheça o seu perfil de investidor e procure diversificar seus investimentos para se proteger das oscilações da economia.

Se você for um investidor conservador, por exemplo, o ideal é manter os recursos em diferentes investimentos em renda fixa. Para quem é mais arrojado, aplicar uma parte do dinheiro em renda variável pode ser uma boa estratégia.

Correntistas do Banco Inter podem fazer gratuitamente um teste de perfil do investidor. Basta acessar o Internet Banking e clicar em IDTVM > Perfil do Investidor.

Depois de entender melhor o seu perfil, a próxima etapa é avaliar as melhores opções de investimentos de longo prazo. Listamos abaixo algumas aplicações:

CDB e LCI

Essas duas aplicações oferecem rentabilidade superior à poupança e são asseguradas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). São ideais para quem está começando a investir, ou pretende manter uma parte da carteira em renda fixa.

Ao aplicar em CDBs e LCIs, você “empresta” seu dinheiro ao banco, que te paga uma taxa específica, de acordo com o valor investido, o prazo e a variação de indicadores específicos, como a Selic e o IPCA.

Existem diversas variáveis na hora de escolher entre uma ou outra aplicação. Para saber qual é a melhor alternativa para você, clique e veja como comparar esses investimentos.

Tesouro Direto

Títulos do Tesouro Nacional são uma opção segura, acessível e rentável para quem pretende investir a longo prazo. Você pode aplicar com apenas R$ 30,00 e os rendimentos podem ser resgatados semestralmente, ou no vencimento da aplicação. E se precisar do dinheiro para alguma emergência, o Tesouro oferece a recompra diária dos títulos, a preço de mercado.

Para saber mais sobre o Tesouro Direto, é só clicar aqui.

Previdência privada

Planos de previdência privada são uma alternativa interessante para garantir uma renda extra e complementar os rendimentos da aposentadoria pelo INSS.

Qualquer pessoa pode investir em previdência privada, fazendo aportes mensais, ou de acordo com a disponibilidade financeira. No Banco Inter, por exemplo, você pode contratar um plano com apenas R$ 100 por mês.

Mas antes de escolher, é importante conhecer as principais variáveis dos fundos de previdência privada, como o regime de tributação (progressivo ou regressivo), as taxas e a rentabilidade de cada fundo.

Quer saber mais? Então confira este post.

Ações e fundos de investimento

A queda da taxa Selic e as recentes altas na bolsa de valores de São Paulo (B3) têm atraído investidores para o mercado de ações. A longo prazo, esse segmento pode oferecer rentabilidades mais altas que a renda fixa. Porém, os riscos também são mais elevados. Se você também está interessado nesse tipo de investimento, há duas coisas que precisa saber.

A primeira é que o melhor investimento é aquele que atende ao seu perfil. Nem sempre a aplicação “da moda” é a ideal para os seus objetivos.

Mas se você já fez o seu teste de perfil de investidor e viu que o mercado de renda variável também é para você, a segunda dica é avaliar se tem o conhecimento necessário para comprar e administrar as ações por conta própria. Caso se sinta capacitado, você pode contar com a IDTVM, a corretora de títulos e valores do Banco Inter, para comprar, vender e manter a custódia gratuita dos seus papéis.

Mas se você não entende muito de ações, ou não tem tempo para assumir esse compromisso, a melhor solução pode ser aplicar em fundos de investimentos. Eles são como um “condomínio” de investidores, que adquirem cotas de participação no fundo. O patrimônio é administrado por gestores especializados, que tomam decisões de acordo com as tendências do mercado e a categoria do fundo – que pode ser mais conservador ou mais arrojado.

Se quiser saber mais sobre os fundos de investimento que oferecemos, conte com a nossa equipe!

Já começou a investir para garantir sua aposentadoria? Então compartilhe suas dicas com a gente aqui nos comentários!