Entender como funciona a relação entre investimentos e cobrança de impostos é um passo importante para saber qual a melhor aplicação para você e fazer com que o seu dinheiro renda mais.

Porém, muita gente ainda fica inseguro na hora de investir por não saber como funciona a relação entre impostos e investimentos.

Então, pode ficar tranquilo que hoje vamos tirar todas as suas dúvidas relacionadas a investimentos e cobranças de impostos.

Investimentos e cobrança de impostos

Quais impostos incidem sobre os investimentos?

Apenas dois impostos são descontados dos investimentos: o Imposto de Renda (IR), e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Além disso, algumas instituições podem cobrar taxa de administração dos papéis,  o que não acontece no Banco Inter, por exemplo.

Existem aplicações isentas de impostos?

Sim! Poupança, LCI e LCA são ótimas opções de investimentos para quem quer fugir dos impostos.

Na Poupança você pode aplicar o valor que quiser e pode resgatar o dinheiro quando precisar. Porém, como ela rende mensalmente, se você retirar o dinheiro antes da data de aniversário da aplicação, não receberá o rendimento sobre o valor investido.

Já as LCIs são Letras de Crédito Imobiliário e são oferecidas por bancos interessados em captar recursos para o segmento imobiliário. Diferente da poupança, as LCIs só podem ser resgatadas na data de vencimento da aplicação.

As LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) também são oferecidas por bancos, mas têm o objetivo de obter recursos para financiar o setor agrícola. Elas não tem liquidez diária e conta com o prazo a partir de 90 dias para resgatar o dinheiro.

LCI e LCA são uma boa alternativa para quem quer segurança para investir, mas também busca mais rentabilidade.
Quais aplicações cobram impostos?

Tesouro Direto e CDB (Certificado de Depósito Bancário) são exemplos de investimentos que têm desconto de impostos.

Como é feita a cobrança?

Diferente do que muita gente pensa, a cobrança dos impostos não é feita sobre o valor total da aplicação. Na verdade, eles incidem apenas sobre os rendimentos.

Por exemplo: se você investe R$ 1.000 e tem um rendimento de R$ 100, os impostos serão cobrados dos R$ 100, não dos R$ 1.100.

O IOF é cobrado somente se o dinheiro for resgatado antes de um mês de aplicação. Se você tirar o dinheiro no primeiro dia, o desconto é de 96% sobre os rendimentos.

Essa porcentagem vai diminuindo gradativamente até ser de 0% no trigésimo dia.

Já no caso do Imposto de Renda, a cobrança é feita com base em uma tabela regressiva. Ou seja, quanto mais tempo você deixar o seu dinheiro aplicado, menor é a retenção do imposto:

 

PRAZO DE APLICAÇÃO

         ALÍQUOTA IR

Até 180 dias

22,5%

De 181 a 360 dias

20%

De 361 a 720 dias

17,5%

Acima de 720 dias

15%

 

Agora que você já sabe como funciona a relação de investimentos e cobrança de impostos,  já pode começar a investir sem medo!

No Banco Inter, você encontra uma plataforma completa de produtos de investimento, seja de renda fixa ou variável, para que você aplique seu dinheiro naquele que melhor atenderá suas necessidades.

Se ainda não é cliente, clique aqui para abrir a sua conta e começar a investir. Mas se você já faz parte da nossa #revoluçãobancária, acesse o App ou Internet Banking e faça suas aplicações.