Onde investir com a queda da Selic?

Invista Direto 25/10/2017 | 8:25

O Banco central decidiu cortar mais 0,75% da Selic. A taxa básica de juros da economia agora é de 7,5% ao ano. Se você acompanha as notícias sobre investimentos, deve estar se perguntando: “É o fim da renda fixa? Devo partir para a Bolsa? Onde investir com a queda da Selic?

Neste post, vamos explicar o que muda e dar dicas para ajudá-lo a diversificar sua carteira.

O que acontece com a renda fixa?

O ciclo de cortes na Selic já era esperado pelo mercado. Atualmente, a expectativa é que a taxa termine 2017 em 7%.

Mas isso não significa que a rentabilidade será menor quando comparada aos períodos de alta na Selic. Como explicamos em outro post aqui no blog, o que importa é o ganho real da aplicação, ou seja, o quanto ela renderá além da inflação.

Quer um exemplo? A Selic dos últimos 12 meses está em 11,54%, enquanto o IPCA no mesmo período é de 2,54%. Por outro lado, em 2015 o acumulado da Selic foi de 13,29%, mas a inflação chegou a 10,7%.

Ou seja, o ganho real da renda fixa hoje é superior ao de dois anos atrás.

Como diversificar

Como vimos no exemplo acima, títulos atrelados à Selic continuam com uma boa rentabilidade real. Mas se você não está totalmente convencido, vamos falar sobre títulos prefixados e fundos de investimentos.

Mas antes é importante lembrar que você deve tomar decisões seguindo o seu perfil de investidor. Nem sempre aquele investimento que está “na moda” é o mais adequado para os seus objetivos.

Não sabe exatamente qual é o seu perfil de investimento? Acesse sua conta pelo Internet Banking, clique em IDTVM > Perfil de Investidor e faça o teste para descobrir se você é conservador, moderado ou arrojado.

Títulos prefixados

Quando a taxa básica de juros está em queda, muita gente pergunta se aplicações de renda fixa prefixadas serão mais vantajosas.

Investimentos prefixados oferecem uma rentabilidade definida no momento da aplicação. Assim, o investidor já sabe o quanto ganhará se levar o título até a data de vencimento. É o caso, por exemplo, do Tesouro IPCA, que paga um percentual fixo, mais a variação da inflação.

Mas e aí? Vale a pena investir em prefixado? Depende.

Essa pode ser uma alternativa se você quiser se proteger dos ciclos de alta e baixa da Selic. Mas se você quer apenas aumentar a rentabilidade no curto prazo, essa não é a melhor escolha para você.

Como o ciclo de cortes na Selic era esperado pelo mercado, a remuneração dos papéis prefixados tende a diminuir. Isso porque as instituições já previam o aumento da demanda por esses títulos.

Fundos de investimento

Se você já investe e está acostumado com a renda fixa, fundos de investimento podem ser uma opção para começar a diversificar.

Fundos de investimento são um condomínio de investidores, que aplicam recursos adquirindo cotas de participação. O patrimônio é administrado por gestores especializados, que tomam decisões de acordo com o mercado e com a categoria do fundo – que pode ser mais conservador, ou mais arrojado.

Além de serem geridos por pessoas experientes, outra vantagem é que alguns fundos permitem aplicar valores mais baixos. No Banco Inter, por exemplo, você pode investir num fundo de debêntures incentivadas, isento de IR, com apenas R$ 100,00! Com esse mesmo valor, também pode aplicar no fundo Inter Primus.

Fundos de investimento também são boas opções para quem precisa de liquidez, já que o resgate de alguns fundos pode ser efetuado a qualquer momento.

Mas na hora de escolher, procure opções que têm a ver com o seu perfil. Para quem é mais conservador, um fundo que investe apenas em renda fixa pode ser o mais indicado. Mas se você tem disposição para correr riscos em busca de mais rentabilidade, fundos multimercado – que também podem investir em renda variável ou câmbio, por exemplo – podem ser adequados ao seu objetivo.

Também é importante consultar e entender o tipo de tributação e as taxas cobradas por cada fundo. Outra dica é analisar o histórico de rentabilidade, que equivale ao rendimento depois de descontadas as taxas administrativas.

Se tiver qualquer dúvida sobre o que fazer com o seu dinheiro, #Contacomagente! Deixe suas perguntas abaixo, ou entre em contato com nossa equipe de investimentos.