Como juntar dinheiro para comprar um carro: 7 dicas infalíveis

Educação Financeira 07/06/2019 | 3:12

Seja para adquirir seu 1º veículo ou mais um para a família que anda crescendo, sabemos que a tarefa de juntar dinheiro para comprar um carro pode não ser tão simples assim.

Por isso, vamos te ajudar com 7 dicas que nunca falham. Isso irá contribuir para você entender o que precisa para conquistar sua independência de ir e vir por aí.

1) Nunca é cedo demais para juntar uma grana

Comece cedo a trilhar o caminho para os seus objetivos. Isso vale para tudo na vida, inclusive para comprar um carro.

Por isso, se – desde cedo – o ronco do motor já te faz sonhar com a sua independência, já comece a guardar o dinheiro que ganha de seus aniversários ou das mesadas que recebe.

Você já pode começar a fazer o cálculo de quantos anos tem, com qual idade possivelmente irá tirar carteira e quando – de fato – poderá comprar o carro.

Se você acha que não conseguirá juntar a grana para comprar o carro à vista, programe-se para ter pelo menos 20% do valor total do veículo. Isso facilita para você dar entrada em financiamento ou até mesmo dar um lance em um consórcio para ser contemplado mais rapidamente.

 2) Defina o carro de acordo com o valor que você pretende gastar

Antes de começar a juntar sua graninha suada, pense no tipo de veículo que você gostaria de comprar e qual é o compatível com a sua renda.

Se for um carro esportivo e de luxo, provavelmente você levará um tempo a mais para realizar essa compra. Por outro lado, se o modelo escolhido for um popular, será possível concluir seu objetivo em um intervalo menor de tempo.

Caso o seu desejo – de cara – seja um carro mais caro, mas ele não está tão compatível assim com a sua renda, quem sabe não seja o caso de repensar e dar um passo de cada vez, ao invés de adiar a compra por um longo tempo? Que tal juntar uma grana para comprar um carro popular agora e depois continuar economizando para comprar um veículo mais luxuoso?

Outra tática para encurtar o tempo de realização do seu sonho é considerar comprar um seminovo, por exemplo. Os carros desvalorizam muito ao sair da concessionária. É possível que você consiga um valor bem legal em um veículo com pouca quilometragem rodada.

No fim, o importante é avaliar sua renda e suas expectativas, tentando unir – da maneira mais harmoniosa possível – as 2 coisas.

3) Leve em conta a sua renda e as despesas importantes

Nada de persistir na tentadora ideia de fazer planos mirabolantes para juntar dinheiro. Tenha os pés no chão! Considere a sua realidade, leve em conta sua renda e as despesas primordiais com que você precisará continuar arcando.

Depois disso, coloque no papel seus gastos extras e veja o que você poderá cortar, já fazendo seu planejamento de economia.

Com cálculos simples e rápidos, veja quanto você precisará juntar para ter a quantia total que você quer e qual o tempo razoável pra chegar lá. Por exemplo, se você prevê um carro de 20 mil reais em 20 meses, precisará poupar em torno de 1 mil reais todos os meses, obviamente.

4) Separe uma parte de seu salário e controle sua renda mensal

Com o objetivo e tempo já definidos, é hora de dar mais um passo. É importante definir o percentual que irá economizar. Por exemplo, se você ganha R$ 1.800,00 e determinar que irá economizar 30% por mês, o valor da sua poupança será de R$ 540,00.

Encare essa poupança como mais uma dívida mensal: abra uma conta específica para ela (sem custos, faça-nos esse favor, hein?), gere boletos bancários no montante que você deseja economizar e, todos os meses, efetue os pagamentos regulamente. O dinheiro economizado ficará rendendo e você não corre o risco de gastá-lo com outra coisa.

5) Considere outros investimentos além da poupança

Uma boa opção para te ajudar a juntar dinheiro para comprar um carro é investir em alternativas além da boa e velha poupança. Ela é o investimento mais conhecido do brasileiro, por ser mais fácil de usar, pode ser resgatada a qualquer momento e não tem cobrança do Imposto de Renda.

Mas que tal considerar outros investimentos com maior rentabilidade? Afinal, seu objetivo não deve ser apenas economizar, mas também fazer o seu dinheiro render cada vez mais. Assim, você já tem aquela forcinha para chegar ao seu objetivo ainda mais rápido.

Separamos 3 motivos para você deixar sua graninha em alguma Renda Fixa, sem medo.

6) Sem disciplina para investir? Considere o consórcio.

Se você é daqueles que já tentou, mas ainda não conseguiu a disciplina necessária para juntar a grana que precisa, considere investir em um consórcio para carros.

Diferente do financiamento, você não paga juros, apenas uma taxa de administração que costuma ser bem menor que as taxas do financiamento.

O consórcio funciona assim: os integrantes contribuem com parcelas mensais e a cada mês um deles é contemplado com uma “carta de crédito”, ou seja, um documento que ‘autoriza’ a compra do carro ou que pode servir como entrada para um carro de maior valor.

Para ser contemplado no consórcio, o integrante pode ser sorteado ou dar lances.

Vamos voltar ao cálculo de guardar 30% de seu salário. Se você ganha R$ 1.800,00, o valor que você irá guardar – R$ 540,00 – já é o suficiente para investir em um consórcio, ao mesmo tempo em que você continua tendo como arcar com outras despesas e momentos de lazer.

7) Comprei e agora? Que tal investir a grana extra para se preparar para os gastos com o carro?

Pronto! Missão dada é missão cumprida! Você tanto lutou para juntar grana para comprar um carro, que conseguiu. Mas se você acha que as nossas dicas de economia terminam assim que você colocou as mãos no volante, esqueça. É preciso seguir esse caminho com a consciência de que você precisa continuar poupando.

Afinal, você ainda terá revisão, IPVA, seguro, licenciamento e outros gastos ligados ao veículo, que não são tão fáceis assim de bancar, não é mesmo? Por isso, a dica de ouro aqui é aproveitar a grana extra ao longo do ano para não sufocar quando essas contas vierem.

Você irá receber 13º salário, restituição do Imposto de Renda ou algum abono da empresa? Por que não guardar uma parcela, por exemplo, em um Fundo de Investimentos para render e aliviar mais pra frente.

Em algumas opções de aplicação em Fundos do Banco Inter, você recebe até cashback.

Ou seja, quando você escolhe investir em um fundo pelo app do Inter, a gente divide nossa receita de distribuição com você.

Agora que você já está começando a ficar expert em como economizar para fazer o seu dinheiro render mais e realizar seus sonhos, veja como separar o que são as despesas fixas e variáveis, para que consiga se organizar melhor.

mais lidas

home-broker-banco-inter-como-funciona
Invista Direto

Tudo o que você precisa saber sobre o home broker do Banco Inter

Em dezembro, o Banco Inter deu mais um passo para romper barreiras desnecessárias e lançou a