Direito de subscrição: o que é e quais as vantagens

Invista Direto 16/10/2019 | 7:55

Se você compra ou já comprou ações ou fundos imobiliários, provavelmente já se deparou com o termo “direito de subscrição”. Mas você sabe o que isso significa? Neste texto vamos te explicar o que é este evento e quais as vantagens para quem ganha este direito.

Subscrição de ações

A subscrição de ações é um evento muito comum na Bolsa de Valores. Ela acontece quando uma empresa que já tem capital aberto precisa captar novos recursos. Assim, ela propõe o lançamento de determinada ação ou fundo imobiliário no mercado, e dá direito de preferência na compra dessas novas ações para quem já é investidor da empresa.

O investidor, por sua vez, pode escolher entre usar o direito de subscrição, negociar seu direito de comprar mais barato na Bolsa ou não alterar sua posição.

É vantajoso subscrever?

Existem três principais grandes vantagens para quem usa o direito de preferência na compra de ação ou fundo imobiliário:

  • Lucro na operação
    Os preços que são colocados na subscrição normalmente são abaixo dos preços do mercado, ou seja, usando o direito de subscrição é possível comprar ativos com preços mais baratos e vende-los no futuro, tendo um provável lucro na operação.
  • Evita diluição na participação acionária
    Com o direito de subscrição quem já tem ações na empresa pode proteger sua participação da diluição, caso a empresa faça um aumento de capital.
  • Aumento de independência financeira
    Com mais ações você eleva o potencial dos juros compostos. Isso significa receber mais dividendos e ter, provavelmente, mais retornos. Um passo rumo à independência financeira.

Não quero usar meu direito de subscrição, e agora?

Da mesma forma que uma ação, um direito de subscrição pode ser negociado no mercado secundário se não existir interesse do investidor em usá-lo. Estes ativos subscritos podem ser vendidos usando o Home Broker, por exemplo.

Caso o investidor escolha não realizar a venda, mas também não peça a subscrição, esse direito vai expirar assim que encerrar o prazo de negociação.

Vale lembrar que os prazos para exercer e negociar o direito de subscrição, assim como o preço dos novos papeis, são informados pela instituição emissora do ativo e também podem ser consultados diretamente no site da B3.

Identificando direitos de subscrição
Observe sempre a terminação do código do papel na bolsa, que normalmente indica que são direitos de subscrição. No caso de fundos imobiliários normalmente o código tem as mesmas letras do papel comum (ex: XPYL11), porém com o final 13 (XPYL13). A observação é importante para evita erros na compra de papeis!

Recebi o direito, como usar?

Recebeu em sua custódia um direito de subscrição e quer usar seu direito? Para exercer direitos de subscrição acesse o app do Banco Inter, selecione PAI Investimentos e depois escolha a opção de Ofertas Públicas. Basta selecionar o ativo, visualizar o prospecto e inserir a quantidade de ativos desejada.

Além disso, nossa equipe precisará de outras informações adicionais, como: informações do ativo que você quer subscrever e qual a quantidade, e se deseja participar da distribuição de sobras, caso ela aconteça.

Mas sobras, como assim?
Isso mesmo, como nem todos os direitos são usados pelos investidores acontece o que é chamado na Bolsa como “sobras de subscrição”. Essas sobras são novamente oferecidas pela empresa ao mercado, permitindo a empresa atingir aquele objetivo inicial de quando abriu subscrição de ações.

Agora que você já sabe o que é o direito de subscrição, que tal começar a investir? Acesse a Plataforma Aberta Inter e encontre a melhor opção para seu perfil e seu momento de vida.