Como declarar Imposto de Renda – IRPF 2020

Educação Financeira 18/03/2020 | 8:54

Chegou aquela época do ano que gera dúvida em tantas pessoas: como declarar o Imposto de Renda. Mas não se preocupe, neste material iremos te explicar de forma simples como dominar o Leão e ficar de bem com a Receita Federal.

Aqui, você entenderá os pontos fundamentais em relação a declaração desse ano:

– Como declarar o Imposto de Renda

– Quem deve declarar o Imposto neste ano

– As datas e cronogramas de entregas

Após ler esse material, você ficará por dentro dos valores, alíquotas e datas – sem surpresas! Vamos lá?

Como declarar o Imposto de Renda – Passo a passo

Vamos acabar de uma vez por todas com o bicho de sete cabeças que assusta tantos contribuintes, de forma prática e rápida. Abaixo, você verá um o passo a passo sobre o processo de declaração anual do imposto de renda:

  1. Junte todos seus documentos básicos necessários
  2. Organize seus informes de rendimentos de empregos, conta corrente, investimentos e outras receitas
  3. Separe comprovantes de despesas deduzíveis
  4. Recolha os comprovantes de posse de bens
  5. Baixe o Gerador da Receita Federal e insira seus dados
  6. Escolha o modelo de sua declaração
  7. Envie dentro do prazo

Esses 7 passos podem parecer complicados, mas verá que com organização dá pra tirar de letra! Vamos em cada um deles?

1. Junte sua documentação básica

O primeiro passo para declarar o Imposto de Renda é preencher aqueles dados cadastrais que você tem de cor. Precisará do seu nome, nome de dependentes, CPF, RG, título de eleitor e outros dados básicos.

Também é importante ter em mãos os dados básicos de todos os dependentes legais (ex: esposa, marido, filhos, pais, avós, etc.).

2. Organize seus informes de rendimento

De onde vêm as informações de rendimentos para a Receita? No geral elas vem dos Informes de Rendimento que são a sua comprovação de renda do ano. Isto é, eles apontam o quanto você ganhou no ano passado e serão usados de base para todo o cálculo de uma possível restituição ou pagamento.

Então, não se esqueça de reunir os informes de rendimento a seguir:

  • a) Informe de rendimento do empregador/tomador de serviço: caso você tenha tido um contrato de trabalho em 2019, ou tenha prestado serviços autônomos, solicite ao empregador/tomador de serviços, seu informe. Caso tenha tido empregadores diferentes, não se esqueça de recolher todos eles.
  • b) Informe de rendimento do seu banco: acesse seu internet banking ou peça ao seu gerente o informe. Não se esqueça que até o saldo da sua conta corrente deve ser informada caso seja superior a R$ 140,00. Se o saldo é zero não precisa de informe de rendimento.
  • c) Informe de rendimento de sua corretora: caso tenha investimentos, peça a sua corretora o informe, os extratos de negociação e a posição consolidada da sua carteira no fim do ano.
  • d) Informe de rendimentos dos financiamentos de imóveis, carros e bens duráveis: Caso tenha realizado o financiamento de bens “duráveis” você também deverá obter o informe de rendimentos dessas empresas;

As informações contidas nesses documentos serão usadas para preencher sua declaração.

3. Separe comprovantes de despesas deduzíveis

Agora que já está com os documentos necessários em mãos, chegou a hora de recolher os comprovantes de despesas que são aceitos na dedução do Imposto de Renda. Dentre eles estão:

– Despesas com educação (escola, faculdade, pós, etc.)

– Despesas médicas

– Despesas odontológicas

Doações

– Outros (Acesse a lista completa no site da Receita)

Não se esqueça: esses documentos devem conter o nome do prestador de serviço, o CPF ou CNPJ, o endereço e valor pago. Além das suas próprias informações.

4. Recolha os comprovantes de posse de bens

O último grupo de documentos que deve juntar são os comprovantes de bens relevantes. Entram nessa lista imóveis, carros, lotes, etc.

Para evitar quaisquer problemas no preenchimento, é importante verificar se o saldo anterior é exatamente igual ao saldo final da DIRPF 2019 (2018).

5. Baixe o Gerador da Receita Federal e insira seus dados

Já há alguns anos, todo o processo de declarar Imposto de Renda é feito através da internet. Para isso, a cada novo ano, a Receita Federal disponibiliza um programa para preenchimento e envio da declaração.

Para começar, entre no site da Receita e faça o download da última versão do gerador. Após instalar o programa, está pronto para começar a sua declaração.

Não tem computador à disposição? Basta baixar o app de preenchimento da Receita Federal em seu Smartphone, presente nas lojas android e iphone.

Abra o programa e, caso tenha declarado ano passado, importe sua declaração utilizando o arquivo gerado pelo programa anterior ou pelo número de recibo da sua declaração passada.

Caso não tenha acesso a nenhuma dessas duas formas, procure a Unidade da Receita Federal mais próxima.

Se for sua primeira declaração, apenas selecione a opção Nova declaração e comece a preencher seus dados.

Você verá que todos os campos são bem intuitivos. Primeiramente suas informações cadastrais, de seus dependentes e alimentados, caso tenha, os rendimentos recebidos, os bens e siga por todas as abas.

Nos próprios informes que recebeu, você verá quais deles são tributáveis e quais não são. Vá marcando nos informes para não se perder e confira cada vírgula!

  • Alguns exemplos de rendimentos tributáveis são: salário, CDBs, LCs, etc.
  • E no grupo dos não tributáveis estão: LCI, LCA, Dividendos, etc.

Importante: não se esqueça de inserir os saldos do ano anterior e desse ano na seção de Bens e Direitos.

Caso tenha operado na Bolsa de Valores, terá que preencher as informações da aba Renda Variável com todas as negociações feitas – sejam elas de ações ou Fundos Imobiliários.

Mas não se preocupe, se você não tiver feito operações de Day Trade, operado no mercado futuro ou que os valores vendidos mensais sejam inferiores a R$20 mil, não precisará pagar nada – apenas realizar o lançamento em isentos e não tributáveis.

Após passar por cada uma das abas e verificado todas as informações, sua declaração estará pronta para a próxima etapa.

6. Escolha o modelo de declaração: completo ou simplificado

Esse passo é apenas para você entender o que é esse tal modelo de declaração. O modelo chamado de simplificado concede ao contribuinte um desconto de 20% sobre a base que calcula o Imposto devido – esse desconto substitui as despesas dedutíveis até um teto que é determinado pela Receita – desde ano é de R$ 16.754,34.

Já o modelo completo, por sua vez, utiliza a soma das despesas para fazer a dedução. Isto é, caso suas despesas sejam superiores ao teto estabelecido pela Receita, esse modelo será melhor.

Mas não se preocupe, o próprio gerador já faz o cálculo automático e te indica o melhor modelo!

7. Enviar a sua declaração para a Receita

Após conferir todos os dados que preencheu nas etapas anteriores, sua declaração está pronta para ser enviada. Insira os dados bancários da conta que deseja receber sua restituição, caso tenha, e pronto!

Depois de concluir esse passo, será gerado um documento que comprova que você declarou. Guarde bem esse documento que você precisará dele ano que vem!

Caso o resultado da sua declaração indique que você deve parte do Imposto a Receita, o gerador irá apontar o valor para você preencher uma DARF e fazer o pagamento.

Caso perceba que cometeu um erro na sua declaração, não se preocupe. É só acessar o programa novamente, selecionar sua declaração, informar o número do recibo, corrigir o erro e enviar novamente.

Pulo do Gato

A chamada Declaração Pré-Preenchida pode ser obtida diretamente do PGD IRPF 2020 por meio da opção “Iniciar Declaração a partir da Pré-Preenchida” da Aba “Nova” da Tela de Entrada.

Para obter a declaração Pré-Preenchida é necessário o uso de certificado digital do próprio contribuinte ou de seu procurador.

Além dos dados da declaração do ano anterior e os dados da Dirf, Dmed e Dimob, a declaração Pré-Preenchida agora inclui também os dados financeiros dos contribuintes declarados em Dirf.

Quem deve declarar o Imposto de Renda neste ano?

Se você se enquadra a qualquer uma das informações da lista abaixo, você terá que declarar seu Imposto de Renda em 2020. Caso contrário, estará isento!

– Trabalhadores brasileiros que obtiveram um rendimento tributável superior a R$28.559,70 no ano de 2019.

– Pessoas que possuem rendimentos tributáveis ou não tributáveis superior ao valor de R$40.000,00

– Trabalhadores rurais com receita bruta anual superior a R$142.798,50

– Pessoas com posses acima de R$300.000,00

– Pessoas que obtiveram ganhos de capital sobre a alienação de Bens e Direitos

– Pessoas que operaram na Bolsa de Valores

– Cidadão de áreas rurais que desejam realizar compensação de prejuízos de anos anteriores

– Pessoas que se oficializaram como cidadãos brasileiros

Conferiu se está no grupo de contribuintes que precisa declarar o Imposto em 2020? Então vamos para o último tópico: as datas!

Cronograma IRPF 2020

O período que todos os contribuintes devem enviar suas declarações começou no dia 02/03/2020 e vai até o dia 30/04/2020, às 23h59.

Então, programe-se e não deixe para a última hora. Vale lembrar que o quanto antes enviar sua declaração, mais cedo receberá sua restituição.

Viu que não é tão complicado assim? Separando todos os documentos e seguindo o passo a passo, não tem mistério. Mas caso ainda tenha dúvidas, não deixe de procurar um contador. Assim, sua declaração estará livre de erros e poderá ficar tranquilo com o Leão da Receita.

Para facilitar, deixamos aqui o hotsite da Receita Federal com todas as informações necessárias para a declaração 2020.

mais lidas

home-broker-banco-inter-como-funciona
Invista Direto

Tudo o que você precisa saber sobre o home broker do Banco Inter

Em dezembro, o Banco Inter deu mais um passo para romper barreiras desnecessárias e lançou a