Reforma da Previdência: como não depender só do INSS?

Invista Direto 11/03/2019 | 5:23

Uma das notícias mais comentadas é a Reforma da Previdência, que traz mudanças para todos os brasileiros que ainda não se aposentaram. Mas o tema ainda gera muitas dúvidas: afinal é justamente no momento da aposentadoria que uma renda extra se torna necessária.

O texto que contém a Proposta de Emenda à Constituição e detalha algumas mudanças já foi entregue ao Congresso Nacional e, em breve, deve passar por votação. Mas afinal o que muda?

Entre as propostas, está prevista uma nova fórmula de cálculo do valor da aposentadoria. Assim, para receber o salário integral, ou seja 100% da média das contribuições, serão necessários 40 anos de contribuição.

Outra proposta é criar um sistema de capitalização para quem ainda não entrou no mercado de trabalho. Nesse modelo, as contribuições vão para contas individuais que serão administradas por fundos com o objetivo de conseguir melhor rentabilidade. 

Enquanto as discussões ainda estão concentradas no ambiente político, é importante ir pensando nos seus objetivos futuros. E, neste contexto, os investimentos surgem como uma boa opção para construir uma reserva para o futuro. 

 Uma das opções é a Previdência Privada e listamos alguns motivos para você conhecer melhor esse tipo de investimento e não depender só do INSS: 

1) Mais chances de ampliar suas fontes de receita 

Ao se aposentar, o valor recebido do INSS não será igual ao valor integral das suas contribuições. Assim, você pode ter uma renda bem menor quando solicitar o benefício e a previdência privada pode ser um bom ‘plano B’

2) Investimento seguro

A Previdência Privada é uma alternativa segura e pode te ajudar a iniciar uma reserva para a sua aposentadoria de forma simples e programada. Mas, por ser um investimento de longo prazo, é importante se planejar para realizar os depósitos todos os meses. 

 3) Acessível 

Todo mundo pode investir em um plano de Previdência Privada. Se você é correntista Inter, com a Plataforma Aberta Inter (PAI) pode contratar seu plano direto pelo aplicativo.

4) Invista a partir de R$ 50

É importante definir um valor para ser investido e escolher entre aportes mensais ou esporádicos na sua Previdência. E vale lembrar: quanto mais cedo começar a investir mais retorno você terá. 

5) Lembre-se dos descontos de Imposto de Renda  

Ao resgatar o valor investido, você pagará um imposto proporcional sobre a rentabilidade e sobre o período em que o dinheiro ficou aplicado. Por isso, é importante escolher corretamente entre o regime progressivo e regressivo de tributação. 

PGBL ou VGBL? Qual a diferença? 

Na modalidade da Previdência Privada PGBL – Plano Gerador de Benefício Livrevocê pode obter benefício fiscal no ano em que investir. Ou seja, se você tem renda tributável, faz declaração completa do Imposto de Renda e contrata a Previdência Privada PGBL, tem a chance de deduzir até 12% da sua renda bruta tributável anual, garantindo um benefício fiscal.

 Outro destaque dessa modalidade de investimento é que não há incidência de imposto semestral de 15%, também conhecido como come-cotas. 

 Já o plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) é indicado para quem não precisa declarar Imposto de Renda ou usa o modelo simplificado. A grande diferença está na tributação dos rendimentos no momento em que o cliente resgata o dinheiro. Nessa modalidade, o IR incide apenas sobre a rentabilidade que o dinheiro teve no período. Por isso, quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menor será a tributação a ser paga. 

Como aposentar após a reforma da previdência?

Além da Previdência Privada, há outras opções de investimentos em Renda Fixa ou Renda Variável que também podem te ajudar a se aposentar com mais tranquilidade. Mas o importante é dar o primeiro passo. 

Renda Fixa 

Em Renda Fixa existe uma enorme variedade de produtos como o Tesouro Direto, Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Certificados de Depósito Bancário (CDB). Esses são investimentos tão seguros quanto a poupança, mas que têm maior rentabilidade. 

No Banco Inter, por exemplo, a rentabilidade do CDB de liquidez diária varia entre 100% e 102% do CDI, dependendo do valor  investido ou da participação em grupos de investimento. Já a LCI com prazo de 90 dias rende 90% do CDI. 

Mas existe uma diferença muito importante entre a LCI e o CDB, que você precisa conhecer antes de optar por um dos dois investimentos e que pode fazer seu dinheiro render mais: O CDB tem desconto de imposto de renda sobre o rendimento, enquanto a LCI é isenta. 

Dessa forma, uma LCI de 90 dias com rentabilidade de 90% do CDI, por exemplo, hoje equivaleria a um CDB de 116% do CDI, mantido pelo mesmo prazo. E, no final, toda a rentabilidade volta para você, sem descontos. 

Mas vale lembrar que antes de optar pela LCI ou pelo CDB você deve pensar no prazo em que você poderá deixar seu dinheiro aplicado para ampliar os seus ganhos. 

Renda Variável 

Já entre os exemplos de investimentos em Renda Variável, estão os fundos de investimentos e ações. Nesses tipos de investimentos, não é possível definir com antecedência um prazo ou rentabilidade para o valor investido. No entanto, eles podem ser uma boa opção para diversificar os seus investimentos e são mais indicados para os perfis menos conservadores. 

Planeje-se e invista 

Com todas essas possibilidades, chegou a hora de planejar seu futuro e responder algumas perguntas: qual é o seu perfil? Qual objetivo do seu investimento? Quanto você tem para investir? E por quanto tempo pode deixar seu dinheiro aplicado?

Respondidas as perguntas, é só começar! Aqui no Banco Inter, você tem autonomia para investir em qualquer um dos nossos produtos que mais combinam com você. Baixe o App, abra a sua Conta Digital e comece a investir agora mesmo.

mais lidas

home-broker-banco-inter-como-funciona
Invista Direto

Tudo o que você precisa saber sobre o home broker do Banco Inter

Em dezembro, o Banco Inter deu mais um passo para romper barreiras desnecessárias e lançou a